05
Jan 11
publicado por ahaliteratura, às 15:35link do post | comentar

 

 

rabiscos vieira

 

segue o comunicado da editora:

 

Sebald, Vila-Matas, Tom Sharpe, Douglas Coupland e Philip Pullman são algumas das apostas da Teorema para 2011, dando continuidade à qualidade que desde sempre marcou o seu catálogo.

O ano começa com a edição de Pátria Apátrida, antologia de ensaios sobre literatura austríaca de língua alemã escrita por W.G. Sebald.

Em Fevereiro, sairá Dublinesca, novo romance do catalão Enrique Vila-Matas que os críticos do suplemento literário Babelia, do espanhol El Pais, elegeram como o oitavo melhor livro publicado em 2010. O romance foi recentemente distinguido com o Prémio Jean Carreière.

 

Do francês Erik Orsenna, a Teorema editará, em Março, A Empresa das Índias, romance cuja acção decorre em Lisboa e é narrada por Bartolomeu Colombo, irmão de Cristóvão Colombo, quando este se prepara para iniciar a viagem em que acabaria por descobrir a América.

 

Também em Março chegará às livrarias portuguesas, o ensaio O Futuro e os Seus Inimigos, do filósofo espanhol Daniel Innerarity, por muitos considerado um dos mais importantes pensadores da actualidade.

 

A Herança Wilt, de Tom Sharpe, está prevista para Abril, enquanto em Maio sairá Os Amores Difíceis, de Italo Calvino. Nesse mesmo mês publicaremos a biografia Nós Queríamos Matar Hitler, de Philipp Freiherr von Boesaleger, o último sobrevivente da conspiração que tentou matar o Führer naquela que ficou conhecida, em Junho de 1944, como “Operação Valquíria”.

 

Uma temática similar tem o romance 116 chineses e Mais Alguns, do francês Thomas Heams-Ogus, que ficciona o campo que os italianos mantiveram durante a II Guerra Mundial e no qual, em 1941, internaram todos os asiáticos que existiam no país.

 

Nascimento de Uma Ponte, de Maylis de Kerangal, vencedor do Prémio Médicis deste ano, será publicado em Junho, e nele se descreve a construção de uma ponte suspensa na cidade imaginária de Coca, na Califórnia, recriada através do destino de uma dezena de homens e mulheres vindos de longe para trabalharem nesta enorme cruzada.

No mesmo mês sairá Le Testament d’Olympe, de Chantal Thomas, de quem a Teorema já editou O Adeus à Rainha, que venceu o Femina em 2002.

 

O polémico The Good Man Jesus, de Philip Pullman, é a aposta da rentrée. O autor da trilogia Mundos Paralelos (A Bússola Dourada, A Torre dos Anjos e O Telescópio Âmbar) foi  alvo de várias ameaças por retratar Deus como um patife, senil e impotente e caracterizar a Igreja Católica como uma burocracia corrupta e assassina. Pullman escreve que Maria era uma jovem inocente que foi visitada por um estranho que dizia ser um anjo. Depois dessa visita, deu à luz dois gémeos, Jesus e Cristo. Jesus é um orador apaixonado e carismático, que acredita que o reino de Deus está iminente, ao contrário do perturbado Cristo, que acredita na necessidade de uma Igreja e de uma História organizadas. Secretamente, Cristo regista e embeleza os ensinamentos do irmão, mas um estranho, que quer usar os ensinamentos controversos e as crenças de Jesus como o ponto principal de uma nova religião controlada por uma organização poderosa e rica chamada Igreja, impele-o a trair Jesus.

 

 

Também em Outubro, a Teorema editará o mais recente romance do canadiano Douglas Coupland, The Player One. Alvo Nocturno, de Ricardo Piglia, sairá em Novembro. O romance do escritor argentino ficou em terceiro lugar na lista dos melhores livros do ano do jornal espanhol El Pais.


 

 


Sinopse
"Ah, a Literatura!" é o novo programa de livros do Canal Q. Organizado numa lógica de clube de leitura, o programa destacará semanalmente um livro, lido e analisado por ambos os anfitriões, que procurarão acompanhar as novidades editoriais. Todos os episódios contarão com a presença de um convidado ligado ao mundo editorial e com uma série de rubricas rotativas.
Pesquisa
 
Arquivos
blogs SAPO