29
Nov 10
publicado por ahaliteratura, às 14:56link do post | comentar

Por mais estranho que pareça, os judeus acreditam num só deus, a que chamam Javé. Antigamente acreditavam que este deus era superior aos deuses dos outros povos, pelo que se lançavam nas empresas militares mais disparatadas, convencidos de que a protecção da sua divindade lhes daria sempre a vitória. Deste modo sofreram o cativeiro no Egipto e na Babilónia repetidas vezes. Se estivessem no seu perfeito juízo compreenderiam a inutilidade desse empenho e o erro em que ele se fundamenta, mas, muito longe disso, chegaram a convencer-se de que o seu deus não só é o melhor, mas o único que existe. Como tal, não tem de impor a nenhum outro deus nem a sua força nem a sua razão e, por consequência, actua segundo o seu capricho ou, como dizem os judeus, segundo o seu sentido de justiça, que é implacável com aqueles que crêem nele, o adoram e o servem, e muito frouxo com os que ignoram e negam a sua existência, o atacam e troçam dele nas suas barbas.

 

in Mendoza, Eduardo, A Assombrosa Viagem de Pompónio Flato, Sextante editora


Sinopse
"Ah, a Literatura!" é o novo programa de livros do Canal Q. Organizado numa lógica de clube de leitura, o programa destacará semanalmente um livro, lido e analisado por ambos os anfitriões, que procurarão acompanhar as novidades editoriais. Todos os episódios contarão com a presença de um convidado ligado ao mundo editorial e com uma série de rubricas rotativas.
Pesquisa
 
Arquivos
blogs SAPO